Mais de 200 famílias que tiveram prejuízos pelas chuvas de granizo e estiagem receberão amparo da prefeitura de Irati

Durante reunião (03), membros da gestão municipal decidiram pela disponibilização de sementes e a solicitação de auxílio dos governos Federal e Estadual

Amanda Borges

Na segunda-feira (03), primeiro dia útil do ano, reuniu-se na prefeitura representantes de diversas esferas da gestão do município para debaterem medidas de auxílio aos agricultores prejudicados pelas chuvas de granizo e estiagem, que vem acometendo a região de Irati. Durante o encontro, foram analisados dados, coletados pela Defesa Civil e Secretaria de Agricultura, e decididas medidas para auxiliar os agricultores neste momento crítico. De acordo com o levantamento, 230 famílias tiveram suas plantações destruídas pelo mau tempo.

A reunião teve como pauta a definição de algum tipo de auxílio para os agricultores que tiveram perdas severas em suas plantações devido às ações climáticas. Para nortear as discussões, “A secretaria de agricultura junto com a Defesa Civil, fizeram um levantamento preliminar para a gente buscar uma alternativa para ajudar esses agricultores de uma forma ou de outra”, diz o Prefeito Jorge Derbli.

Entre as decisões tomadas durante a reunião, está a disponibilização de sementes. “Definiu-se que, boa parte do nosso secretariado está indo à Curitiba, falar com o Secretário Ortigara, para ver a possibilidade de fornecimento de sementes de milho e de feijão para o replantio, no caso dessas lavouras que foram destruídas pelo granizo”, explica Jorge. Além disso, a compra das sementes também será analisada a partir de recursos próprios do município.

Da mesma maneira, através da Secretaria de Assistência social e por meio do apoio dos deputados Artagão Júnior e Leandre Dal Ponte, será solicitado auxílio às esferas estaduais e federais. O pedido será visando a aquisição e fornecimento de Cestas Básicas, além de Kits de Higiene e Limpeza. “Nós vamos contar com os nossos deputados para que eles sensibilizem as autoridades do estado e do governo federal, para que olhem para nós e nos ajudem nesse momento tão difícil”, pontua a vice-prefeita Ieda Waydzik.

“A nossa preocupação com a situação eles se encontram hoje é enorme. São famílias muitas vezes com dificuldades financeiras, ou que vão passar por dificuldades por causa do ocorrido. Então, nós aqui da gestão, o poder executivo, não podemos ficar de braços cruzados vendo isto acontecer. Nós vamos tomar todas as providências, o prefeito tá providenciando isso, para que as pessoas não pereçam”, informa Ieda.

O secretário de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar, Raimundo Gnatkowski, conta que o cadastramento continua e que ele estima que o número chegará a 300 famílias. Além disso, Mundio conta que o perfil dos cadastrados atingidos pela seca é, em sua maioria, de pequenos produtores. “O pequeno agricultor quando perdeu o fumo, era tudo que ele tinha. Mesmo que o seguro cubra a dívida, o que ele vai comer? É essa a nossa preocupação: como fazer com que o agricultor, o pequeno agricultor, ele se motive”

No mesmo encontro com as autoridades estaduais, a prefeitura deverá solicitar auxílio para solucionar parte dos problemas gerados pela crise hídrica. De acordo com o prefeito, a gestão deverá se organizar para disponibilizar caminhões pipa para abastecimento de água das propriedades rurais.

Além disso, o secretário Raimundo lembra que os problemas terão reflexo em outras esferas, “Quando a gente fala do reflexo no bolso do consumidor, se tiver alimento ainda dá para se pagar. O problema é quando não se tem alimento, que é o nosso caso, pela questão do granizo e da crise hídrica”. Da mesma maneira, os cofres municipais também sofrerão, “essa é uma via de duas mãos, a partir do momento que o agricultor não consegue se manter, aqui na cidade, os municípios também sentem essa falta na arrecadação”, explica Mundio.

Na reunião, estiveram presentes o Prefeito do município, Jorge Derbli; a Vice-prefeita, Ieda Waydzik; representantes do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Rural (IDR); assim como os secretários das pastas Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar, Raimundo Gnatkowski, e Assistência Social, Sybil Dietrich. Ainda, participaram membros da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros.