Irati pode ter o primeiro curso técnico em vitivinicultura e enologia do Paraná

Curso deve impulsionar a produção de vinhos na região, e é articulado pelo deputado Evandro Roman

Daniela Valenga, com reportagem de Nilton Pabis

O campus de Irati do Instituto Federal do Paraná (IFPR) deve ser a primeira instituição do Paraná a oferecer um curso técnico em vitivinicultura e enologia. O objetivo do curso é impulsionar a produção de vinhos na região da Amcespar, em especial na comunidade de Pinho de Baixo, em Irati, que tem um destaque na produção da bebida.

“Há uma vocação das famílias que já produzem a uva e o vinho e um clima favorável para produção do fruto na região, então, estamos investindo nisso”, explica o Deputado Federal Evandro Roman, o responsável e articulador da proposta de abertura do curso. Para ele, a região tem o potencial de se tornar uma espécie de Vale do Vinhedo do estado do Paraná, em uma referência a região do Rio Grande do Sul conhecida pela produção de vinhos.

Roman recorda que desde 1912, quando chegaram os primeiros descendentes de italianos à região, de muitas famílias que ainda estão na comunidade, até hoje o Pinho de Baixo tem a cultura da produção de vinho. “O curso de formação técnica irá agregar com inovação, ciência e tecnologia que irão dar toda a assistência para a produção da região”, aponta.

O deputado ressalta que o curso trará a oportunidade para os jovens se especializarem na produção vinícola. “Naturalmente serão os filhos e netos desses produtores de vinho que vão cursar e levar outras formas de produção, como a possibilidade do cultivo de uvas finas, que dão um valor agregado ao produto”, exemplifica.

Segundo a proposta de abertura do curso, devem ser investidos R$ 1,6 milhões para a construção de laboratórios específicos para a área, R$ 130 mil na construção de uma unidade experimental de produção de uva, R$ 1,1 milhão na estrutura física da cantina experimental e R$ 90 mil em acervo físico ou virtual para a biblioteca. No total, serão R$ 2,9 milhões investidos. Se aprovado pelo ministro, o curso deve iniciar em 2023.

Deputado Evandro Roman é o articulador da proposta do curso – Foto: Reprodução Câmara

Gilberto Laroca, morador da comunidade de Pinho de Baixo, destaca o atendimento que Roman presta à região: “Ele sempre está nos apoiando e dando ideias do que podemos fazer na comunidade”, conta. O deputado lembra que todo o planejamento de investimentos são idealizados junto a comunidade. “Um dos pontos que os moradores da região terão que fazer agora é encontrar uma identidade geográfica que marque a produção de vinho local”, cita Roman.

A oferta do curso técnico em vitivinicultura e enologia ocorre em sintonia com outras ações para tornar o Pinho de Baixo em uma referência turística da região. Também fazem parte do planejamento a conclusão do asfaltamento da comunidade, construção de uma ciclovia e melhora na infraestrutura da Cachoeira local.