Prefeitura lança programa habitacional Prohabi em Irati

Nossa Casa é um projeto que prevê a construção de casas próprias às famílias do município

Jaqueline Lopes

A Prefeitura de Irati vai lançar o programa Prohabi (Nossa Casa), que visa a construção de moradias dignas para a população do município. O projeto foi aprovado, por unanimidade, na Câmara de Vereadores e, agora, segue para sanção do prefeito Jorge Derbli.
Irati tem um déficit em habitação e, por isso, a Prefeitura criou o programa “Nossa Casa”, que vai atender as pessoas que não tem casa própria. A ideia é que sejam atendidas famílias em situação de vulnerabilidade social, e prevê uma contrapartida do beneficiário de acordo com a capacidade financeira de cada um.
As casas deverão ter cerca de 48 metros quadrados, quase a mesma base das que são feitas pela Cohapar, e serão construídas em terrenos do município. No primeiro momento, será no Conjunto Joaquim Zarpelon, onde a Prefeitura já possui lotes e o bairro tem toda a estrutura necessária para receber mais pessoas.
O valor investido será de recurso próprio da administração municipal, e cada casa custará entre R$ 30 a R$ 40 mil. A construção será feita através de licitação, com cronograma físico e financeiro, de acordo com a possibilidade da Prefeitura, que cederá o terreno e também fará a terraplanagem. A empresa vencedora da licitação construirá as residências.

“Este programa veio durante uma pandemia, em um período que as famílias estão com dificuldades financeiras. Deixo aqui o meu agradecimento aos vereadores e também ao Executivo pela forma que tem tratado essas pessoas e as causas sociais neste período” Hélio de Mello


“A Prefeitura vai construir essas casas com recurso próprio para as famílias que não tem condição de construir uma residência, e não conseguem se encaixar nos programas da Cohapar. Como estamos muito carentes de programa habitacional, este projeto vem de encontro com essas famílias que realmente estão em uma situação difícil”, comenta o prefeito Jorge Derbli.
O projeto de lei foi aprovado, em segunda votação, na Câmara de Vereadores na última sessão ordinária, no dia 13 de julho e, de acordo com o Executivo, foi desenvolvido com muita cautela, responsabilidade e desejo de que as pessoas possam, por meio deste programa, conquistar o sonho da casa própria.
O presidente da Casa, Hélio de Mello, comentou sobre a importância de ter um projeto como este no município que vai beneficiar muitas pessoas. “Este programa vai oportunizar a estas famílias que não tem condição, ou mesmo aquelas que não consegue apresentar uma renda que comprove nas instituições do município para financiamentos, uma moradia digna. No Legislativo municipal, foi visto com bons olhos e, com certeza, esta aprovação dará uma maior dignidade àquelas famílias que têm necessidade deste beneficio”.

“Nestes 114 anos de Irati, a nossa comemoração é de gratidão para as pessoas que trabalham na saúde, e aquelas que, assim como eu, passaram pela Covid. Infelizmente, muitos óbitos, é um momento delicado, não de festa. Este lançamento é mais uma questão social para atender essas pessoas. Temos muitas obras para fazer de infraestrutura, mas nós vamos atender mais a questão solidária. Este é o nosso propósito”. Jorge Derbli

“Os vereadores, de forma unânime, através das falas, dos discursos, até mesmo fora da sessão, mostraram contentamento, é dentro da realidade que cada um vive, cada vereador é procurado, e vem de encontro com a necessidade da cidade”, completa o presidente do Legislativo municipal.
O projeto será iniciado em agosto. Ainda não há um número definido de casas que serão construídas dentro do programa, mas a ideia é que este projeto fique para as administrações futuras. O programa também poderá atender pessoas que, por alguma eventualidade, perderem a casa em um incêndio.
O prefeito Jorge agradeceu aos vereadores por aprovarem o projeto de Lei que cria o programa Prohabi. e também informou que a Prefeitura já faz uma economia para iniciar as construções. Também levará o projeto à Cohapar, junto ao Governo do Estado, para fazer uma integração em subsidiar 50% destas casas, e, desta forma, haver uma integração entre os governos.

Foto: Secom