Teixeira Soares realizará mutirão de combate ao Aedes Aegypti

Ação começa a partir do dia 30 de agosto

Redação

A administração de Teixeira Soares está organizando um mutirão contra a dengue no município. Serão cinco dias de combate ao Aedes Aegypti, com o objetivo de diminuir os focos e a proliferação da dengue.
O mutirão tem previsão de início para dia 30 de agosto, no Bairro Vila Nova. Em seguida, no dia 31, no Bairro Cohapar, e no dia 1º de setembro no bairro Blumenau. Em 2 de setembro será no Centro e Bom Retiro e o último dia da ação, 3 de setembro, será na localidade de Guaraúna.
Participarão da ação em média 30 a 40 pessoas, entre elas os agentes de endemias integrados com a atenção primária, agentes comunitários da Estratégia da Saúde da Família, com apoio da vigilância sanitária e também da Secretaria de Urbanismo e Obras e da Cooperativa de Reciclagem Coopertexas. Além disso, os cidadãos que recebem o recurso Renda Boa também vão colaborar na ação.
A Prefeitura, por meio das redes sociais, fez um pedido a população para que fique atenta às datas do mutirão e que se livre de todos os focos do mosquito, como pneus, garrafas e objetos que acumulem água.
Segundo Amauri Klossowski secretário de Saúde, o município está em sinal de alerta em relação à dengue e isso é uma grande preocupação porque neste mês iniciam as chuvas e o verão está próximo, que acabam aumentando os focos.

“Vai ser um trabalho bem forte na tentativa de diminuir os casos e tirar o município do sinal vermelho e passar para o azul. O intuito é fazer a coleta de todo o lixo reciclável: garrafas, latas, ferro. Tudo que possa ser potencial reservatório de água e, consequentemente, do mosquito”, destaca.

Lula Thomaz, prefeito de Teixeira Soares comenta que a dengue é uma realidade. “Estamos vivendo a pandemia da Covid-19, mas não podemos deixar que a nossa cidade se torne um local apropriado para a proliferação do mosquito da dengue. Peço o apoio da população em todas as ações que serão realizadas e também agradeço a todos os envolvidos. Vamos para frente que é para frente que se anda”, diz.