Bebê nasce com anticorpos contra a Covid-19 em Fernandes Pinheiro

Mãe recebeu as duas doses da vacina, a última na 34ª semana de gestação

Redação

Depois da farmacêutica Rafaela Rodrigues ter sido imunizada contra a Covid-19, ainda gestante, em Fernandes Pinheiro, a bebê Maria Eduarda, já nasceu com anticorpos contra a doença. Ela veio ao mundo na quarta-feira (07).
Rafaela foi vacinada com a primeira dose da Coronavac com 30 semanas, e a segunda dose do imunizante tomou na 34º semana. O teste foi feito por um laboratório de Irati e o resultado apontou a imunização. A bebê pode ser a primeira a nascer com anticorpos da doença nos municípios que fazem parte da 4ª Regional de Saúde.
A iniciativa de fazer o teste surgiu dos pais de Maria Eduarda e do médico de Rafaela, Dr. Ângelo Guerreiro, devido a uma reportagem que viram em Santa Catarina, em que o bebê já nasceu imunizado. Assim, o médico fez a coleta através do cordão umbilical no momento da cesárea, o material foi para o laboratório e em um dia saiu o resultado.

“Não tem como explicar. É um sentimento só de gratidão por ela nascer imune nesse período da pandemia, que é um momento tão difícil. Nós, gestantes, sabemos que é mais difícil ainda passar por isso. Acho que é só gratidão, felicidade, amor, só coisa boa”, disse Rafaela.

O pai Douglas Matias Silva também incentivou que Maria Eduarda fizesse o teste, ele acompanhou tudo junto da mãe. “Estamos muito felizes com essa notícia e espero que sirva de exemplo também para que outras pessoas também tomem a vacina. Algumas estão fugindo pra não tomar. Conversamos bastante com o médico sobre isso e ele explicou como funciona e aconselhou bastante”. comenta.
A mãe fez todo o pré-natal em Fernandes Pinheiro, ela ressalta o ótimo cuidado que teve com a equipe da Secretaria de Saúde do município. Por causa da pandemia, optou por fazer o parto em uma clínica particular.
O Dr. Ângelo Guerreiro, médico que realizou o parto de Rafaela, conta que assim que a gestante demonstrou interesse em fazer o teste na bebê, para saber se era imune, eles começaram a procurar laboratórios que fizessem o exame.
Ele apoiou a paciente desde o início. Maria Eduarda foi a primeira bebê atendida por Guerreiro que nasceu imunizada. Segundo o doutor, outras gestantes que ele acompanha pretendem fazer o exame.

“Ficamos muito felizes que a bebê nasceu imune, principalmente nesse momento que muitos casos estão circulando. Assim, a criança pode receber visitas com mais segurança, sem exageros é claro”, aponta o médico.

Guerreiro explica que, apesar do resultado ser positivo para imunização, a bebê também precisará da vacina, pois os estudos mostram que a imunização dura cerca de seis meses, e ainda há muitas pesquisas a serem feitas em relação à Covid-19.