Guabiroba é transformada em produtos alimentícios em Irati

Projeto que começou na comunidade do Pinho de Baixo já ganha mais aproveitamento

Jaqueline Lopes

A guabiroba é um fruto presente em Irati, e há mais de 10 anos vem sendo estudada pela Embrapa. A partir desse estudo, foi criado um projeto visando transformar a fruta em algo a mais, ter um maior aproveitamento, fazer a diversificação, dar sustentabilidade e ainda preservar o Meio Ambiente. O que começou na comunidade do Pinho de Baixo pode fazer com que a guabiroba se torne o açaí do Sul do Brasil.

Há um ano, iniciou a etapa de transformação da fruta. A empresa de extrativismo vegetal, de Pinhais, a Heide, e técnicos da Embrapa, procuraram na localidade do Pinho, pela pessoa da Maria Cristina Mazza, para participar de um edital e envolver a comunidade no aproveitamento da Guabiroba. Segundo Maria Cristina, “quando se aproveita os frutos nativos contribui-se para a conservação. Também envolveu a Prefeitura e todos os que tinham interesse em participar do projeto para que isso se amplie por toda a Irati”, disse.

COMERCIALIZAÇÃO 

Para comercialização e para que todos conheçam os produtos feitos com a Guabiroba, os produtores do Pinho estarão na Feira do Produtor no dia 30 de julho, em uma das bancadas. Além disso, vão participar da ExpoIrati, junto com a Feira do Produtor, e esperam trazer mais novidades para a população.  

A partir disso, começou o processo de colheita e aproveitamento da guabiroba. A comunidade do Pinho vem desenvolvendo várias receitas com a polpa da fruta. Já criaram sorvete, sucos, bolos e a empresa Heide desenvolveu a pimenta de guabiroba, e muita coisa ainda está por vir deste produto.

Produtos

Os produtores, que passam de 30 em Irati, começaram com a colheita e fizeram a despolpa. Segundo Elita Maria Rossa Sartoretto, produtora da Guabiroba, foi após isso que iniciou o desafio. “Comecei com o sorvete, o primeiro não deu certo, depois ficou bom. Inventei alguns sucos misturados, começou a sair o bolo e tempero da carne, e assim foi. Tudo feito em casa, a partir da experiência e vivência na cozinha”, observa a produtora.

Os produtos não têm nada de diferente, somente a polpa da guabiroba que dá o sabor. “O segredo é só a polpa, o potencial é enorme, e vem muita coisa pela frente. Quase tudo pode ser feito com a polpa da guabiroba, principalmente o lácteo. Agora, vamos tentar desenvolver mais coisas na cozinha”, comenta Elita

“Nós chegamos a ver 100% da fruta utilizada. É uma grande alternativa para o nosso produtor, e um grande cuidado com o Meio Ambiente. É um trabalho muito sustentável” – Secretário Raimundo Gnatkowski

Um dos produtos mais curiosos feitos a partir da fruta é a pimenta da Guabiroba, desenvolvida pela Heide. A produção é simples: a fruta é inteira desidratada, por dois dias, em 60° graus, depois é triturada e vira um pó, que pode ser usado para temperos em vários preparos. “Está sendo testada por chefes de cozinhas, pessoas que gostam de culinária, tem muita gente testando e aprovando muitos pratos”, enfatiza a produtora.

Para o secretário de Agricultura de Irati, Raimundo Gnatkowski é uma alegria ver os primeiros resultados desse trabalho. “Para mim é gratificante ver uma fruta que eu desde pequeno vejo ela sendo, praticamente, desperdiçada, e, hoje, se transformando nessas relíquias e nessas delícias que temos aqui. A empresa tem projetos para cosméticos medicinais, então vai longe tudo isso”. 

Produção da guabiroba

O trabalho está sendo feito através do extrativismo. Segundo o secretário de Agricultura são mais de mil guabirobeiras só na região do Pinho. A guabiroba amadurece de novembro até janeiro, e foram tiradas mais de três toneladas este ano, o projeto da Cargil, no qual custeou para chegar nos produtos, além de ter o envolvimento da Heide.

A guabiroba tem alto valor nutricional | Foto: Reprodução

Este ano, a colheita da fruta foi feita de forma mais técnica, porém o secretário já informou que os agricultores terão uma rede para se colocar no entorno do pé, e, assim, poder colher com mais facilidade. Foi realizado um curso para escolher a melhor fruta, retirar aquela que está mais perfeita. Depois, a equipe fez a coloração e o congelamento. Tudo foi feito no espaço cedido por Maria Cristina, que é moradora do Pinho, e também no Centro de Processamento da Prefeitura.

Valor nutricional da guabiroba

A guabiroba tem um valor nutricional alto, muita vitamina C, ferro, zinco, magnésio, cálcio, potássio, fibras, entre outros componentes. A engenheira de alimentos da Prefeitura de Irati, Daniele Schlumberger, comenta que o produto que mais chamou a atenção foi o sorvete, pois é rico em nutrientes, tem muita vitamina, conteúdo de ferro grande, é rico em Pectina- açúcar que dá a consistência cremosa, desta forma, faz com que o produto seja livre de qualquer conservante, é natural. “A gente se sente bastante feliz com todos os produtos já feitos, pois tem um valor nutricional muito bom, excelente. Continuamos dispostos a ajudar como sempre, desde o começo transportando, e no congelamento da guabiroba”, comenta a engenheira de alimentos.