Professores de Rio Azul criam personagens para interagir com as crianças durante a pandemia

Adão e Marcos fazem “Os cumpradres” e gravam vídeos para os alunos se divertirem em casa

A pandemia causada pelo novo coronavírus não está fácil, com as aulas suspensas desde março, professores têm preparado atividades em casa e enviado aos alunos. Para manter a atenção das crianças e fazer com que elas aprendam brincando, os professores de Rio Azul, Adão José Amorim e Marcos Duda, criaram os personagens “Os cumpadres”, em que eles se vestem de caipiras, gravam vídeos e divertem os alunos.

Amorim é professor nas escolas rurais municipais Santo Antonio e José Bonifácio, já Duda atua na Santo Antonio, ele também é professor do estado. Os dois têm mais de 160 alunos que aprendem com eles, nas disciplinas de Artes, Ensino Religioso e Educação Física. Como já são engajados em teatros, eles tiveram a ideia de fazer os personagens para uma quadrilha virtual, mas a aceitação por parte dos alunos foi grande e decidiram continuar.

“Esta ideia dos dois compadres surgiu porque a gente estava trabalhando na disciplina de Educação Física na época junina. O tema era mais ou menos por aí com festas locais, e como são caipiras decidimos fazer uns personagens e chamar as crianças para dançar a quadrilha em casa com a família, e depois a gente junta em um vídeo só para que eles se sintam na escola com os colegas”, comenta Amorim.

Os professores fazem as gravações em casa, dando início ao vídeo, depois, enviam para as crianças, por meio do WhatsApp, e elas enviam fotos ou vídeos sobre o tema, os dois montam em um único vídeo e reenviam para que elas possam ver como ficou e como os demais colegas estão interagindo. A ideia foi tão aceita que até os pais se envolveram na brincadeira da quadrilha virtual.

“Foi de travar o celular com tantas imagens que recebemos. E foram coisas bem legais das famílias, pai tocando gaita, em casa fizeram amendoim, pipoca, deu vontade até de participar quando eles mandaram. A gente não esperava que fosse desta maneira. Vimos que eles gostaram e dissemos que vamos continuar com “os cumpadres”, comenta Adão.

Após toda a aceitação os professores vão dar continuidade ao trabalho, e vão se aprimorar para produção dos conteúdos. “Nós continuamos com o projeto porque vimos que dá certo. Os pais gostaram e as crianças muito mais, elas estão se divertindo e aprendendo, com isso, a gente está, cada vez mais, tentando produzir ainda melhor a parte educativa, também estamos melhorando, tivemos que aprender com isso, e assim vamos melhorando”, disse Duda.

Ver a empolgação das crianças é importante para os professores, devido às dificuldades que estão enfrentando nesta pandemia.  “Isso foi gratificante, ver a alegria das crianças, mesmo não podendo estar na escola, mas participando em casa e interagindo nas redes sociais”, comenta Marcos.

Ele também destaca que outros professores podem aderir algo diferente para passar aos alunos. “A gente pega ideias, esta é uma, a gente pega de outros, e assim vamos para melhorar a educação. Sabemos que têm professores que fazem coisas diferentes, parecidas com personagens, mas que fazem atividades remotas e gravam vídeos, têm vários fazendo assim. O nosso teve destaque por causa dos “cumpadres”  por isso chama a atenção das crianças”, completa.

OS PERSONAGENS

Os personagens são dois caipiras, inspirados nas quadrilhas, têm um vocabulário simples e o professor Marcos é o mais “sem conhecimento”, Adão tem um pouco mais, e vai explicando de maneira fácil para o amigo entender, assim como para as crianças. Eles ainda não têm nome, mas os professores já têm ideia de fazer uma enquete ou votação para dar nomes aos compadres.

As gravações são feitas pelo celular, e depois Adão edita no computador, eles gravam separados e depois colocam músicas, para deixar mais atrativo para as crianças, sempre com brincadeiras e trapalhadas para divertir os alunos. Não há um roteiro, é tudo no improviso. “A gente não cria muito texto, é tudo improvisado. Então a gente acaba criando algumas coisas bem legais no embalo da gravação. A gente gosta deste desafio”, conta Amorim.

TEMAS

Com a grande aceitação por parte dos alunos e pais, os professores vão abordar outros temas nas gravações. Já enviaram um sobre o coronavírus, explicando os cuidados básicos para as crianças, também teve a Festa Junina e o Folclore. “Estamos recebendo o vídeo deles, vamos retratar sobre o folclore, além das aulas de Educação Física. Nós temos uma surpresa para a criançada, nós, "os cumpadres", vamos caçar lobisomem, vai ser bem divertido. E na Educação Física estão se preparando para uma corrida em casa”, finaliza Adão.