Profissional da saúde cria atrativos para encorajar crianças na vacinação

Ideia será realizada nas demais salas do município

Jaqueline Lopes e Assessoria

Quem procura a sala de vacinação na Unidade Básica de Saúde da Vila Diva, em Rio Azul, já percebe que está diferente, mais alegre e atrativa para as crianças. Tudo porque a vacinadora Ana Maria Marcinek Stanski criou um método diferente para encorajar os pequenos a tomarem a vacina.
A ideia surgiu quando Ana percebeu a necessidade de deixar mais atrativa a sala de vacina. Pois as crianças vão ao local já sabendo que não será agradável, e para melhorar o ambiente algumas mudanças foram feitas especialmente para elas.
Ana é a responsável por usar um jaleco personalizado com imagens de desenho infantil, criou enfeites confeccionados com tampas de frascos de vacina, imitando um mobile anexadas ao teto. Também tem figuras plastificadas de desenhos infantis conhecidos pelas crianças, como a galinha pintadinha e o pintinho amarelinho, além da marreta de plástico com som, simulando um “matador de formigas”. E para os bebês, há chocalho colorido.
Ana comenta que começou a trabalhar na sala de vacina em junho de 2020. Ela conta que sempre gostou de conversar com os pais e explicar detalhadamente sobre cada vacina, a importância, prevenção e proteção que o imunizante tem, além de comentar sobre as reações adversas que podem ocorrer e os cuidados necessários.

“Explico para os pais sobre as vacinas, em seguida, explico para as crianças utilizando de figuras, por exemplo: a VOP são gotinhas mágicas que protegem elas da paralisia, a febre amarela recebem para não ficarem igual o pintinho amarelinho, a varicela se não tomar dá muita coceira. E finalizo dizendo que voltarão tomar vacinas, as meninas com nove anos e os meninos somente com 11, claro que sempre especificando sobre as campanhas. Depois, elas ganham o certificado e pirulito”, disse Ana.

A secretária de Saúde de Rio Azul, Cristiana Maria Schuvaidak, comenta que está ideia deu certo no município e será levada a outras salas de vacinas, pois é um método diferente e humanizado para imunizar as crianças. “A vacinação é muito importante é um dos princípios do SUS, porque falamos em prevenção de doenças e promoção da saúde, e as salas de vacinas estão disponíveis em todas as unidades básicas de Rio Azul e as crianças já tem essa concepção de tomar a vacina. A nossa gestão é muito pautada na humanização, tratar bem e colocar-se no lugar do outro. É isso que ela tem feito: uma diferença muito grande”.

Sala de vacina da Vila Diva tem cartazes de desenhos infantis – Foto: Reprodução


Cristina destaca outra forma utilizada por Ana, da aplicação das vacinas sem agulhas, que a vacinadora criou após uma conversa com a enfermeira Elaine Pacanaro, de mostrar a seringa pra criança sem agulha, em que a criança visualiza o líquido, e como o maior medo é a agulha, no momento de distração da criança, é conectada a agulha e realizada a aplicação. Para a secretária esta é uma forma de evitar traumas futuros nas crianças em relação às vacinas. Ela também enfatiza que todas as Unidades de Saúde de Rio Azul têm salas de vacinas disponíveis para a população.
Com autorização dos pais, as crianças ganham doces. E todos os matérias e enfeites da sala são confeccionados de materiais laváveis, passível de desinfecção a cada manuseio, seguindo os protocolos de cuidados. A partir de agosto, as crianças de quatro anos irão receber um certificado de coragem.

“É um trabalho que tem dado muito certo no município e estamos expandindo para outras salas de vacina. São ações simples que fazem a diferença”. CRISTIANA MARIA SCHUVAIDAK